Home / Colunistas / Naomi Corcovia / Ver Artigo

O impacto do rock na história

O impacto do rock na história

Vocalistas eufóricos(as), grandes solos de guitarra, baixistas dominados(as) pela técnica e elétricos(as) bateristas. Com tudo o que foi apresentado, já é possível imaginar que o rock n'roll será a pauta deste texto. Este gênero musical, existente desde meados da década de 50 e fruto da influência de estilos como blues e jazz, causou um grande impacto com sua incontestável ascensão, promovendo mudanças nos cenários cultural e histórico e cativando milhões de pessoas com suas variadas músicas, bandas, artistas e ramificações. 
 
 Durante a década de 50, no contexto histórico do surgimento do rock, a música, de forma genérica, vivenciava um complicado período, que não era relativo a uma possível falta de qualidade ou produtividade dos artistas representantes dos estilos artísticos que influenciaram o rock e foram citados no primeiro parágrafo. O termo "complicado" teve que ser empregado por conta da categorização vigente no âmbito musical na época retratada. Com este processo, algumas canções tornavam-se exclusivas de determinadas localizações, segmentos sociais, nacionalidades, grupos étnicos e religiosos. Contudo, o rock, com seu acelerado crescimento e sua extraordinária popularidade, conquistou seu lugar na indústria cultural e colocou um ponto final na divisão "estamental" das composições. De certa forma, pode-se dizer que, com este processo encerrado, a música passou a ser um departamento artístico mais democrático, livre e universal. Os artistas, aproveitando as conquistas obtidas, também se sentiram mais livres para inserir pensamentos, reflexões e sentimentos em suas letras. 
 
 A participação exercida pelo rock na formação de novos estilos e padrões de vida, na moda, nas atitudes e na linguagem de seus ouvintes é inegável. Em razão de sua pluralidade, é possível interpretá-lo como um grande rio que distribui-se em várias ramificações. Algumas destas vertentes, como o punk e o grunge, que obtiveram fenomenal sucesso na aurora da década de 90, interviram no vestuário e na postura adotada pelo enorme contingente 
 de seguidores que reuniram com sua fama. Estas correntes desenvolveram-se com a exacerbada popularidade, convertendo-se em verdadeiros levantes populares.
 
 Uma série de movimentos sociais, que protestavam contra a injustiça, a desigualdade, a poluição ambiental, os conflitos armados e lutavam por um mundo melhor, em que a paz, o amor e o respeito pudessem prevalecer, tiveram uma parcela de contribuição deste gênero artístico e de suas contestadoras composições. Esta influência se manifestava, principalmente, pelos artistas que mobilizavam-se por importantes causas sociais. Para exemplificar, o famoso movimento hippie, oriundo da década de 60 e conhecido por seu eterno lema  ( "paz e amor") reivindicava a ampliação dos direitos civis, o fim das guerras, a preservação ecológica e diversas outras essenciais medidas de cunho social, assim como construiu uma ótima conexão com o estilo abordado, já que a maioria de seus integrantes e adeptos costumava apreciar as melodias de artistas como Jimi Hendrix, Janis Joplin e Carlos Santana, além de conjuntos como Led Zeppelin, Creedence Clearwater Revival, The Doors etc. O Festival de Woodstock, realizado entre 15 e 18 de agosto de 1969, reuniu, aproximadamente, 500 mil pessoas ( meio milhão ) e se tornou o o principal evento dos seguidores da contra-cultura, que cativou, igualmente, os hippies. Alguns dos artistas citados há pouco, grandiosos ícones da história da música popular, realizaram performances durante as múltiplas horas de apresentações. 
 
 Além de tudo, é impossível deixar de mencionar que as personalidades filiadas a este estilo transformaram-se em verdadeiros modelos e inspiraram seus sucessores no departamento cultural da música. Se o rock fosse apagado da história, um enorme vácuo seria sintetizado, visto que inúmeros artistas do gênero foram vitais no nascimento de futuros grandes astros.
 
 Para finalizar, conclui-se que o rock é muito mais do que um gênero musical. Seu valor no meio artístico, a influência que exerceu em revolucionários movimentos sociais e no modo de vida de seus apreciadores e as mudanças que provocou nestes, aproximadamente, 70 anos de existência lhe conferiram um impacto social e cultural único, como pôde ser visto nas linhas anteriores. No mundo contemporâneo, a realidade deste não é uma das melhores, uma vez que não tem a mesma popularidade dos "tempos gloriosos" e boa parte de seus ícones já faleceu. No entanto, mesmo com tantos empecilhos, o rock se mantém vivo com sua gigantesca comunidade de seguidores, seu valioso legado e com novos e promissores vocalistas, guitarristas, baixistas e bateristas que vêm despontando nos últimos anos. Portanto, o rock n'roll não está morto!